E Deus...

E Deus escondeu o inferno no meio do paraíso...

domingo, 29 de agosto de 2010

Pra não pensar em você


Quando a saudade doer e a solidão machucar
Pra não pensar em você, nem procurar seu olhar
Vou enganar a paixão,
Mentir pro meu coração, que já deixei de te amar
Eu vou fingir que esqueci
Que não chorei, nem sofri
Vendo você me deixar

E se a lembrança insistir
Em procurar por nós dois
Vai encontrar seu adeus
Dizendo "Volto depois"
É impossível, eu sei,
Mentir que nunca te amei
Que foi um sonho e acabou
Mas tenho que aceitar,
Cuidar de mim e tentar
Me encontrar um outro amor

Mas eu me engano, me desespero
Porque te amo, porque te quero
E a minha vida é só pensar em você

O tempo todo, o dia inteiro
Sinto seu corpo, sinto seu cheiro
E a minha vida é só pensar em você

Fim de semana acabando...



O fim de semana às vezes passa tão rápido... é nele que me refugio, me escondo de você, porque nele não te vejo, não ouço sua voz e você não pisca e nem sorri para mim. Preciso tirar férias de você. Ou talvez precise tirar férias de mim. Fico aqui, quieta, no meu canto, fazendo os trabalhos da faculdade, lendo artigos, ouvindo músicas e tentando não pensar em você. 

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Pessoal, obrigada pelos comentários e pela força. É, acho que todas já tiveram um amor torto né ?

Sentado à beira do caminho...


Eu não posso mais ficar aqui

A esperar!
Que um dia de repente
Você volte para mim...
Vejo caminhões
E carros apressados
A passar por mim
Estou sentado à beira
De um caminho
Que não tem mais fim...

Meu olhar se perde na poeira
Dessa estrada triste
Onde a tristeza
E a saudade de você
Ainda existe...

Esse sol que queima
No meu rosto
Um resto de esperança
De ao menos ver de perto
O seu olhar
Que eu trago na lembrança...

Preciso acabar logo com isso
Preciso lembrar que eu existo
Que eu existo, que eu existo...

Vem a chuva, molha o meu rosto
E então eu choro tanto
Minhas lágrimas
E os pingos dessa chuva
Se confundem com o meu pranto...

Olho prá mim mesmo e procuro
E não encontro nada
Sou um pobre resto de esperança
À beira de uma estrada...

Preciso acabar logo com isso
Preciso lembrar que eu existo
Que eu existo, que eu existo...

Carros, caminhões, poeira
Estrada, tudo, tudo, tudo
Se confunde em minha mente
Minha sombra me acompanha
E vê que eu
Estou morrendo lentamente...

Só você não vê que eu
Não posso mais
Ficar aqui sozinho
Esperando a vida inteira
Por você
Sentado à beira do caminho...

Preciso acabar logo com isso
Preciso lembrar que eu existo
Que eu existo, que eu existo...

(Roberto Carlos)

Preciso contar até dez... não até mil... ou mais...

IDIOTA!!! É isso que ele é. Ele veio com aquele papinho de saudades pra mim hoje... fiquei furiosa e o mandei procurar o que fazer, ou então procurar outra porque "EU NÃO ESTOU DISPONÍVEL PRA VOCÊ!" e saí deixando ele falando sozinho. Estou firme (não sei por quanto tempo), estou tão cansada desse vai-e-volta nosso, isso esta me fazendo tanto mal. Às vezes penso em sair do trabalho só para não ter que vê-lo, mas gosto de lá porque tenho tempo pra mim e pra minha faculdade, então volto atrás. Poxa, minha vida parece que tá parada, preciso fazer alguma coisa, preciso respirar, preciso me salvar!!

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Acabou...

É, eu estava certa. Acabou. Acho que dessa vez foi pra valer. Na terça-feira, ele chegou pra mim e disse vai procurar me evitar porque sou uma tentação em sua vida, e isso não está certo. Poupe-me!! Não tinha desculpa melhor não?? Preciso criar juízo e aceitar que essa história não tem mais pra onde ir. E quando ele vier me procurar de novo (porque eu sei que ele vem, como sempre faz) preciso ter força pra dizer não, mil vezes não.

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Fiquei com ele novamente... foi ótimo, o antes e o durante (e um pouco do depois também)... mas como sempre ele tinha que dizer algo que estragasse tudo. "Você precisa arranjar um namorado" - ele disse. E eu respondi: "Não, gosto de estar solteira. Gosto de sair sem ter que dar satisfação!" . Que mentira... Me deu vontade de dizer "Como? Se eu não consigo tirar você da minha cabeça?". Mas não pude. Como sempre, eu me contenho. Não tenho, e acho que nunca terei coragem de falar o que sinto pra ele. Ele continuou: "Você sabe que eu não tenho futuro". "E por acaso eu quero alguma coisa a mais com você?" - respondi. "Quer dizer que é só transa?" - ele perguntou. "Lógico" - assim eu terminei o assunto. E passamos a falar de outras coisas.  Mas ele acabou voltando ao assunto: "Eu me sinto culpado por estar fazendo isso, eu sou um cara religioso e tenho minha família", então eu falei: "E você acha que eu também não me sinto? Eu sei que é muito errado o que fazemos". "Então a gente precisa se controlar, deixar de lado o desejo da carne". Aí eu pulei: "Epa, eu tava quietinha no meu canto, foi você que veio falando no meu ouvido que tava doido pra ficar comigo". "É, eu sei". E encenrrou o assunto por aí.
Acho que está acabando. Tá certo, desde o final do ano passado que eu penso isso e ainda não terminou, mas acho que desse ano passa. Eu sei que ele é religioso, temos crenças parecidas, mas poxa, eu tenho certeza que não é só comigo que ele fica! Então por que raios eu me sinto culpada também? Ele tem a esposa dele, a quem ele jurou fidelidade, e eu não, eu sou livre, não estou traindo niguém. Se bem que acho que a culpa que sinto é por não conseguir dizer não a ele, mesmo ele me fazendo sofrer tanto. Ai, preciso de um time! Preciso me afastar dele por um longo tempo, mas só de imaginar meu coração dói, fica apertado. Tenho tanto medo de como essa história vai acabar, porque eu sei que eu vou sofrer mais que ele. Mas não quero nunca odiá-lo, quero gostar dele só como amigo mesmo. Porque, apesar de tudo, ele foi o meu primeiro homem e me ensinou a me soltar na cama. Estou aqui, escrevendo e chorando, como sempre. Preciso de ajuda dos céus.

domingo, 22 de agosto de 2010

Já passou...

Eu sabia !! Eu estava totalmente "elétrica" na sexta-feira, mas eu sabia que essa animação toda ia acabar...
Tudo começou quando, na quinta-feira, uma amiga minha me chamou pra comer caranguejo, regado a cerveja e pagode, e eu aceitei, já que tava triste, "murcha" queria me animar. Então fui. Foi legal, mas precisei voltar cedo. Até aí, tudo bem. Na volta, eu estava dirgindo tranquila e calma, ouvindo minhas músicas, quando notei um rapaz bonitinho dirigindo ao meu lado, e quando eu olhei, ele também ficou me encarando. Então eu (meio alegre por conta da bebida) soltei um beijo pra ele, e ele retornou outro pra mim. depois o sinal fechou e ele perguntou meu nome e meu telefone. como eu o tinha achado bonitinho dei meu número, e pouco tempo depois que cheguei em casa ele me ligou e passamos um tempão conversando. gostei do papo dele e combinamos de nos encontrar na sexta-feira.
Então sexta, eu estava em minha euforia, cantando e dançando, pensando no encontro e (pra variar...) no meu "digníssimo"(me deu saudade, mesmo estando chateada com ele), faltei aula pra poder ir ao encontro e fui animada. Mas as coisas não foram como eu esperava. Tipo assim, ele não é tão atraente como eu tinha achado (ah cerveja maldita...) e, sei lá, ás vezes é um pouco afeminado (sem preconceito, claro, mas não faz meu tipo) e tem a voz fina (detesto voz fina, pq já basta a minha). E, além de tudo isso, outra coisa atrapalhou: o meu pensamento estava querendo voar, eu só conseguia pensar no L.(que é o meu "digníssimo). Eu só lembrei dele durante todo o tempo que estive com o carinha. Ai, que ódio !! Como eu deixei isso acontecer ?
O pior é que eu, revoltada com meus pensamentos, aceitei sair com o carinha de novo, no domingo (fiz besteira), já que no sábado eu não poderia, pq era meu aniversário e eu ia sair com umas amigas minhas.
Sábado foi bom. Meu aniversário. Eu costumava estar mais alegre nesse dia, mas não enxerguei tantos motivos para tanta felicidade. 23 anos e só faço besteira, uma atrás da outra.
Preciso ser sincera com o R.(o do encontro), não quero que ele crie expectativas, como ele está criando.
Sei lá, acho que preciso de ajuda, será que teno um psicólogo? ou um terapeuta? preciso muito desabafar com alguém que não faça parte de minha vida. E preciso também, se não for pedir muito a Deus, de alguém (ou melhor outro alguém) que faça meu coração bater mais forte, em outra intensidade, alguém que me ajude a sair da vida do L., a dizer não pra ele de verdade e não voltar atrás.
Será que essa minha tristeza não acaba nunca??? Queria poder voltar a sorrir com vontade...

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Coloquei lentes de contato, vou testar quanto tempo aguento...
Não sei exatamente porque resolvi usar lentes, mas acho que isso tem a ver com a terrível mania que tenho de sempre querer mudar alguma coisa em mim, e como não tenho coragem de mudar o cabelo (a não ser do loiro claro para claríssimo) "mudei de olhos" !! Meu "digníssimo" disse que eu não colocasse, que dava muito trabalho e que eu não aguentaria muito tempo. Talvez ele tenha razão. Ah, que se dane se eu não aguentar, pelo menos eu tentei, né ?
Falando nele, queria saber como ele está, desde quinta-feira, não o vejo, nem falo com ele. Pensando bem, não quero não (ou quero?). Não sei como estamos, ou seja, a "cachorrada" vai continuar, droga. Quando é que vou conseguir me sair desse homem??
Como eu acredito em reencaranção, sempre tive a impressão de que temos uma dívida a ser resgatada um com o outro. Será? Ou será que estou ficando louca? Falei com minha professora, que é psicóloga, sobre minha mudança brusca de humor, e ela me aconsehlou a procurar um psiquiatra e um psicólogo, vou tentar. Mas, logicamente, vou atrás de dinheiro pra poder pagar a consulta. Oh, vida de liseira...

sábado, 14 de agosto de 2010

No final das contas...

Amor, meu grande amor...



Amor, meu grande amor

Não chegue na hora marcada
Assim como as canções
Como as paixões
E as palavras...

Me veja nos seus olhos
Na minha cara lavada
Me venha sem saber
Se sou fogo
Ou se sou água...

Amor, meu grande amor
Me chegue assim
Bem de repente
Sem nome ou sobrenome
Sem sentir
O que não sente...

Pois tudo o que ofereço
É, meu calor, meu endereço
A vida do teu filho
Desde o fim, até o começo...

Amor, meu grande amor
Só dure o tempo que mereça
E quando me quiser
Que seja de qualquer maneira...

Enquanto me tiver
Que eu seja
O último e o primeiro
E quando eu te encontrar
Meu grande amor
Me reconheça...

Triste...

É sempre assim... Droga!
Sempre me sinto assim depois de ficar com ele: no dia me sinto extasiada, no outro feliz, mas a partir do terceiro me sinto a pior pessoa do mundo por ser apaixonada por um homem casado e um dos menos românticos que existe.
A verdade é que não sei o que quero dele, não passa pela minha mente a vontade que ele se separe, não quero isso. Até porque mesmo gostando dele não consigo me imaginar tendo algo sério com ele, apresentando-o a minha família ou amigos, isso não. A diferença de idade entre nós é enorme: ele tem 43 anos enquanto eu tenho 23, são 20 anos !! Não temos quase nada em comum. Ele tem a família dele, eu não o admiro como marido, mas sim como pai. E eu ainda nem penso na hipótese de casar e ter filhos. Não me vejo ao lado dele.
Acho que o que eu queria mesmo era transferir esse amor que sinto por ele para uma outra pessoa. Me apaixonar por outro homem, disponível para mim, é claro. Mas através desse tempo em que estou com ele (01 ano e 06 meses) não consegui gostar de mais ninguém. Conheci outros rapazes, fiquei com alguns super legais, mas tudo que fiz foi me afastar quando percebia que estava ficando sério.
Queria tanto entender o por que e o para que disso tudo. Por que eu me sinto dele desde o dia em que nos conhecemos? Por que assim que o vi, senti que acabaria ficando com ele? É tudo tão louco, e estou enlouquecendo junto... preciso de ajuda, mas não sei de quem e nem como alguém poderia me ajudar quando eu mesma não me ajudo.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Louca...


Dizem que estou louca,  fora de controle
Que você controla todos meus sentidos
Que me afastei de todos, que nem ligo pros amigos
Dizem que estou louca, que meus movimentos
Estão dirigidos por teus pensamentos
Que já não me importo com tudo que fazes
Que acredito, te perdoo, sempre volto
E que não mereço essas horas que me roubas

Por isso dizem que estou louca
Porque teu amor é minha bandeira
Porque está sempre nos meus sonhos
E eu te sigo pela vida inteira
Por isso dizem que sou louca
Porque tua pele é minha morada
E junto a ti me sinto outra
Por isso dizem que sou louca
Porque concedo aos teus caprichos
Porque a história de nós dois
É suficiente para o meu delírio
Prefiro que me chamem louca
E que prosiga minha loucura
Para sempre estar contigo


Dizem que sou louca, que o amor é cego
Que eu estou perdida e que isso é um mistério
Que já não me importo com minha própria sorte
Que acredito, te perdoo, sempre volto
E que não mereço essas horas que me roubas


Mas é melhor viver essa loucura
Em tua boca e em teus olhos do que me levarem a lua
Por isso que me chamam louca...

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Cada Volta é um Recomeço



"Mais uma vez
Meu coração esquece tudo o que você me fez
E eu volto pra esse amor insano
Sem pensar em mim
Pra recomeçar
Já sabendo o fim

Mas, é paixão
E essas coisas de paixão
Não tem explicação
É simplesmente se entregar, deixar acontecer
E eu sempre acabo me envolvendo com você

Nesses desencontros eu insisto em te encontrar
Como se eu partisse já pensando em voltar
Como se no fundo eu não pudesse existir sem ter você
Toda vez que eu volto eu te vejo sempre igual
Como se a saudade fosse a coisa mais banal
E eu chegando sempre como um louco
Pra dizer que amo você (amo você)

Que me leve pela vida o coração
Como versos pra canção
Volto prá você, volto pelo amor
Não importa se é um sonho pelo avesso
Cada volta é um recomeço"

(Zezé Di Camargo e Luciano)

Eu te amo...
Ah, como eu te amo...
Sei que é errado, mas eu realmente te amo
Quando estou com você esqueço o resto do mundo
Esqueço até mesmo as raivas e tristezas que você me causa
Mas eu não consigo resistir a você
Não sei por qual razão me apaixonei por você, mas aconteceu
E me sinto tão sua...
É como se eu sempre tivesse sido sua
Como se meu corpo já soubesse que você é o dono dele
Cada toque seu, cada beijo, abraço... me deixa nas nuvens
Me sinto completamente inteira em seus braços
Como se eu esperasse por isso todos os dias...
Agora... bem agora não sei quando poderemos fazer amor novamente
Antigamente nossos encontros eram semanais...
Mas o tempo passou e a rotina nos levou a encontros "casuais"
Isso me irrita, entristece e me tira o sono...
Foi maravilhoso passar esse tempo com você, amor meu
Apesar de tudo, continuo te amando...
Até um outro dia...

De novo...

É, eu sabia que não ia resistir ! Eu sabia que não ia conseguir te dizer não ! Aconteceu novamente...
Mas não posso negar que foi bom... foi ótimo estar com você... até agora estou em êxtase...
Acho que não temos mesmo juízo... nos arriscar assim... podendo, a qualquer momento, alguém nos descobrir... será que é isso que aquece essa relação?
Se tudo existe é porque sou. Mas por que esse mal estar? É porque não estou vivendo do único modo que existe para cada um de se viver e nem sei qual é. Desconfortável. Não me sinto bem. Não sei o que é que há. Mas alguma coisa está errada e dá mal estar. No entanto estou sendo franca e meu jogo é limpo. Abro o jogo. Só não conto os fatos de minha vida: sou secreta por natureza. O que há então? Só sei que não quero a impostura. Recuso-me. Eu me aprofundei mas não acredito em mim porque meu pensamento é inventado.



Clarice Lispector
Mas há a vida que é para ser intensamente vivida, há o amor. Que tem que ser vivido até a última gota. Sem nenhum medo. Não mata.
Clarice Lispector

Meu Deus, me dê a corgaem

Meu Deus, me dê a coragem de viver trezentos e sessenta e cinco dias e noites, todos vazios de Tua presença. Me dê a coragem de considerar esse vazio como uma plenitude. Faça com que eu seja a Tua amante humilde, entrelaçada a Ti em êxtase. Faça com que eu possa falar com este vazio tremendo e receber como resposta o amor materno que nutre e embala. Faça com que eu tenha a coragem de Te amar, sem odiar as Tuas ofensas à minha alma e ao meu corpo. Faça com que a solidão não me destrua. Faça com que minha solidão me sirva de companhia. Faça com que eu tenha a coragem de me enfrentar. Faça com que eu saiba ficar com o nada e mesmo assim me sentir como se estivesse plena de tudo. Receba em teus braços meu pecado de pensar.



Clarice Lispector

Dá-me a Tua Mão

Dá-me a tua mão: Vou agora te contar como entrei no inexpressivo que sempre foi a minha busca cega e secreta. De como entrei naquilo que existe entre o número um e o número dois, de como vi a linha de mistério e fogo, e que é linha sub-reptícia. Entre duas notas de música existe uma nota, entre dois fatos existe um fato, entre dois grãos de areia por mais juntos que estejam existe um intervalo de espaço, existe um sentir que é entre o sentir - nos interstícios da matéria primordial está a linha de mistério e fogo que é a respiração do mundo, e a respiração contínua do mundo é aquilo que ouvimos e chamamos de silêncio.


Clarice Lispector

Precisão

O que me tranqüiliza é que tudo o que existe, existe com uma precisão absoluta. O que for do tamanho de uma cabeça de alfinete não transborda nem uma fração de milímetro além do tamanho de uma cabeça de alfinete. Tudo o que existe é de uma grande exatidão. Pena é que a maior parte do que existe com essa exatidão nos é tecnicamente invisível. O bom é que a verdade chega a nós como um sentido secreto das coisas. Nós terminamos adivinhando, confusos, a perfeição.
Clarice Lispector

Esperando...

Estou no trabalho, procurando algo pra ocupar minha mente. Droga! Não devia ter feito tudo ontem, devia ter deixado alguma coisa pra hoje. Tenho que desviar minha atenção, que está completamente voltada pra você.
Daqui a pouco você chega... vou ter que olhar para você... meu tormento delicioso...
Não sei se vou conseguir desmarcar nosso encontro... vai ser difícil demais... preciso ficar com você meu amor...

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Sem dormir...



Preciso ir dormir... acordar cedo... mas não consigo...
Por que ?
Ora, muito simples... estou a pensar em você...
Sei que é errado, que essa história já deveria ter acabado... ou melhor, nem deveria ter começado...
Você é comprometido, eu sabia desde o início...
Você é do tipo menos fiel que existe, eu já sabia desde o início...
Eu já sabia como você é...
E mesmo assim, eu quis, eu aceitei ficar com você.
Te dei meu coração... meu corpo... é você foi o primeiro homem a me tocar...
Por que me apaixonei por você ? Eu estava bem antes de te conhecer
E hoje, bem, você roubou minha paz.
Não consigo te deixar, não consigo te dizer não, isso não é certo
Estou triste por ter que desmarcar nosso encontro amanhã, acho que vou ter pesadelos por causa disso
Esse mês que passei sem te ver foi um inferno para mim, tudo naquele lugar me lembrava você, até o seu cheiro eu sentia de vez em quando...
Um mês sem poder te tocar e eu estou louca de saudades...
Louca pra me entregar como eu sempre me entrego pra você
De corpo e alma...
Me leve... me carregue... sempre fui e continuo sendo completamente sua...
Quem sabe um dia você entenda isso?
Quem sabe você perceba o quanto eu sinto ciúmes de você e suas "amigas"?
Quem sabe algum dia eu passe a confiar plenamente em você?
Ou, quem sabe um dia eu te esqueça?

Rifa-se um Coração (Quase Novo)



Rifa-se um coração

Rifa-se um coração quase novo.
Um coração idealista.
Um coração como poucos.
Um coração à moda antiga.
Um coração moleque que insiste
em pregar peças no seu usuário.
Rifa-se um coração que na realidade está um
pouco usado, meio calejado, muito machucado
e que teima em alimentar sonhos e, cultivar ilusões.
Um pouco inconseqüente que nunca desiste
de acreditar nas pessoas.
Um leviano e precipitado coração
que acha que Tim Maia
estava certo quando escreveu...
"...não quero dinheiro, eu quero amor sincero,
é isso que eu espero...".
Um idealista...Um verdadeiro sonhador...
Rifa-se um coração que nunca aprende.
Que não endurece, e mantém sempre viva a
esperança de ser feliz, sendo simples e natural.
Um coração insensato que comanda o racional
sendo louco o suficiente para se apaixonar.
Um furioso suicida que vive procurando
relações e emoções verdadeiras.
Rifa-se um coração que insiste em cometer
sempre os mesmos erros.
Esse coração que erra, briga, se expõe.
Perde o juízo por completo em nome
de causas e paixões.
Sai do sério e, às vezes revê suas posições
arrependido de palavras e gestos.
Este coração tantas vezes incompreendido.
Tantas vezes provocado.
Tantas vezes impulsivo.
Rifa-se este desequilibrado emocional
que abre sorrisos tão largos que quase dá
pra engolir as orelhas, mas que
também arranca lágrimas
e faz murchar o rosto.
Um coração para ser alugado,
ou mesmo utilizado
por quem gosta de emoções fortes.
Um órgão abestado indicado apenas para
quem quer viver intensamente
contra indicado para os que apenas pretendem
passar pela vida matando o tempo,
defendendo-se das emoções.
Rifa-se um coração tão inocente
que se mostra sem armaduras
e deixa louco o seu usuário.
Um coração que quando parar de bater
ouvirá o seu usuário dizer
para São Pedro na hora da prestação de contas:
"O Senhor pode conferir. Eu fiz tudo certo,
só errei quando coloquei sentimento.
Só fiz bobagens e me dei mal
quando ouvi este louco coração de criança
que insiste em não endurecer e,
se recusa a envelhecer"
Rifa-se um coração, ou mesmo troca-se por
outro que tenha um pouco mais de juízo.
Um órgão mais fiel ao seu usuário.
Um amigo do peito que não maltrate
tanto o ser que o abriga.
Um coração que não seja tão inconseqüente.
Rifa-se um coração cego, surdo e mudo,
mas que incomoda um bocado.
Um verdadeiro caçador de aventuras que ainda
não foi adotado, provavelmente, por se recusar
a cultivar ares selvagens ou racionais,
por não querer perder o estilo.
Oferece-se um coração vadio,
sem raça, sem pedigree.
Um simples coração humano.
Um impulsivo membro de comportamento
até meio ultrapassado.
Um modelo cheio de defeitos que,
mesmo estando fora do mercado,
faz questão de não se modernizar,
mas vez por outra,
constrange o corpo que o domina.
Um velho coração que convence
seu usuário a publicar seus segredos
e a ter a petulância de se aventurar como poeta.

(Clarice Lispector)